CAUTION!

CAUTION!

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

FIQUE ENTENDIDA : As religiões e a homossexualidade







Amadas leitoras o meninascommeninas também é cultura!
Baixou derrepente o espírito do Einstein em mim!
[ com aquela linguinha sexy de fora e tudo!]


E me pus a  me aventurar em mais uma das minhas "ávidas" buscas por conhecimento, (ou seja Google ) quando derrepente achei esse texto interessantissímo o qual ,leitoras lindas e cultas assim como eu, decidi dividir com vocês!


Boa leitura!




[blá blá blá blá blá da introdução]


"As religiões tem na história da humanidade um papel de grande influência, determinação cultural e de costumes, portanto ela esta tão arraigada no ser humano que pode delimitar seus pensamentos e ideologias. A busca pelo divino, a crença no sobrenatural e a procura pela plenitude faz com que muitos de nós nos apeguemos e creiamos nas mais diversas religiões.
Mas como todos sabemos, as religiões possuem uma hierarquia humana e por isso são passíveis de falhas. E em relação aos homossexuais as religiões podem não ser nem um pouco acolhedoras e mensageiras da paz.
Portanto nós homossexuais, fiéis as nossas crenças e freqüentadores de templos religiosos, precisamos ter cautela ao assumir nossa condição sexual e se expor perante os grupos religiosos a que pertencemos ou mesmo a familiares convictos de seus dogmas religiosos. Assumir-se homossexual pode acarretar afastamento e até exclusão do ambiente religioso, por isso devemos ter ciência do que pensam as religiões e analisar se realmente vale a pena se assumir perante os lideres religiosos ou se ainda vale a pena continuar freqüentando ambientes de discriminação.
Fizemos aqui um pequeno levantamento do que pensam as principais religiões cultuadas no Brasil sobre a homossexualidade. Infelizmente a esmagadora maioria ainda mantém uma visão conservadora e distorcida sobre a homossexualidade. Cabe a nós homossexuais nos posicionarmos perante essas afirmações assim como muitos grupos religiosos homossexuais tem se posicionado em todo o Brasil. "


[agora as religiões e seus pontos de vista]
 
Budismo




Existem diversas escolas, e correntes no Budismo. Mas em sua maioria o Budismo preocupa-se mais em saber se uma ação é produtiva e baseada em boas intenções. Em termos genéricos todas as relações pessoais são consideradas um assunto privado e são corretas desde que promovam o bem estar das partes envolvidas. Toda a prática sexual que prejudique, manipule ou explore outros é absolutamente proibida, não fazendo nenhuma distinção entre relações homossexuais e heterossexuais


 Catolicismo


A Igreja Católica faz a distinção entre orientação homossexual, que considera moralmente neutra, e comportamento homossexual, que considera pecaminoso. Por outras palavras, pode ser-se homossexual, desde que não se "pratique". Desta forma, o homossexual, que sentisse essa sua 'orientação' teria de levar uma vida de total abstinência sexual.


Convirá aqui recordar que a esmagadora maioria dos homossexuais que tentaram levar esta vida de abstinência sexual, acabaram por exprimir as suas necessidades sexuais de forma auto destrutiva.


 Cultos Afros


Para as religiões “Afro” não existe a noção de pecado como nas outras religiões. A Umbanda e o Candomblé são tolerantes quanto a homossexualidade porque a considera como opções individuais e não compete às religiões condenar ou estigmatizar, mas tão somente orientar seus fiéis nos aspectos religiosos.


Espiritismo


O Espiritismo ensina que os espíritas devem sempre respeitar o comportamento da pessoas, procurando compreendê-las, quando suas atitudes não estão de acordo com aquilo que não é considerado normal; por isso não é contra os homossexuais, mas também não é a favor da homossexualidade. O Espiritismo não é contra o sexo, mas contra o abuso da atividade sexual.
Consideram a homossexualidade como um distúrbio de comportamento sexual intrínseco, marcado pela feminilidade ou masculinidade da alma, muitas vezes levada àquela condição, por força da educação, dos desequilíbrios emocionais e de influências diversas, inclusive daqueles que no passado (outras encarnações) abusaram das faculdades genésicas, arruinando a existência de outras pessoas. Leia mais sobre...


Evangélicos


Apesar da grande ramificação e diversidade doutrinária dos evangélicos trata-se de uma religião cristã e o seu posicionamento perante a homossexualidade varia de acordo com a corrente de pensamento dentro do protestantismo.
Mesmo já existindo, raras igrejas que aceitam o homossexual em sua condição a maioria dos evangélicos entendem que a homossexualidade não corresponde aos desejos de Deus para com a humanidade, rejeitam as uniões entre casais homossexuais e proíbem a ordenação de clérigos abertamente homossexuais. Consideram como regra geral que a homossexualidade é um distúrbio emocional, um problema psíquico e demoníaco.


 Hare Krishnas


Para os Hare Krishnas ser homossexual se deve ao ‘karma’ da pessoa, talvez ele tenha sido muito apegado a sua posição de homem ou mulher, e na outra vida veio com outro sexo, mas com as qualidades do sexo anterior.


Islamismo


De acordo com documentação produzida pela Al-Fatiha, existe um consenso entre os estudiosos do Islã de que todos os humanos são naturalmente heterossexuais. A homossexualidade é vista como um pecado e um desvio da norma sendo considerados contra a lei. Segundo os Hanafitas (Islâmicos do Sul e Leste da Ásia): não deve ser aplicado nenhum castigo físico aos homossexuais. Já para os Hanabalitas (mundo Árabe): deve ser aplicado um castigo físico severo.


 Judaísmo


Os judeus ortodoxos, entendem o comportamento homossexual como uma abominação proibida pela Torá (Leis e Mandamentos). Portanto, não é aceito porque é visto pelo Judaísmo como algo não natural. Não natural porque, segundo eles, a anatomia humana foi concebida visivelmente para uma relacionamento heterossexual.


Seicho-No-Ie


A Seicho-No-Ie considera o homossexual como maArmárionifestação anômala da sexualidade, não se identificando com o seu tipo físico. Portanto, não é a favor nem contra, mas sua postura é no sentido de as pessoas manifestarem a perfeição interior, que compreende também a expressão plena de características masculinas e femininas, conforme o sexo com que nasceram.

Fonte : Site No Armário

GOSTOU? ELOGIE!
SE NÃO GOSTOU ME XINGUE!!!






4 comentários:

RenatinhaH. disse...

Achei interessante.Gostei do que foi pOstadO.
Mas fikei na duvida. EntãO nãO tem bem uma religiãO q "APOIE" o homossexualismO??
Todos ficam em cima do muro?!

Obrigada pela atenção.Beijos

Fábio Donaire disse...

Falo pela Tradição que sigo - a homossexualidade não é apoiada pela Cabalá, assim como a heterossexualidade não é. O que a Cabalá apóia é que cada um descubra e siga sua própria verdade interna. Ainda segundo uma das perspectivas possíveis dentro da prática cabalística, a grande luta contra o preconceito e a discriminação não começa quando atacamos quem nos ataca. Começa quando nos tornamos mais fortes, melhores, ganhamos mais centro, mais estrutura e mais serenidade. Começamos a ganhar a luta quando conquistamos nosso amor-próprio, elevamos nossa auto-estima. Quando passamos a ver a força imensa que temos dentro de nós e usamos essa força sem culpa, sem nos colocarmos como vítimas de nada e nem de ninguém. A Cabalá não é religiosa e não está presa à moral, que é socialmente construída, e por isso seu estudo sempre foi visto com insegurança pela ortodoxia judaica. Mais em escoladesafed.blogspot.com

Anônimo disse...

Acho meio ridículo que todas as religiões que se posicionam contra a homossexualidade utilizem de argumentos velhos, teóricos e totalmente incondizentes com a realidade. Partindo do conservador argumento de que a homossexualidade não é natural, não agrada a Deus, não está em harmonia com o universo e que se trata de uma OPÇÃO comportamental, não deveria, de modo algum, existir homossexualidade. Mas como eu disse, isso não condiz com a realidade; já que a própria natureza nos dá inúmeros exemplos de comportamento homossexual, bissexual, assexual, incestual etc, nos próprios animais, ou até mesmo entre as plantas (que podem ter sexo ou ser hermafrodita). É também importante ressaltar que não existem homossexuais que "escolheram" essa condição. O indivíduo pode escolher, ou não, praticar a homossexualidade, ou a bissexualidade, mas não pode escolher sentir-se ou não sentir-se atraído pelo mesmo sexo. Outro argumento muito utilizado pelos conservadores é o de que a homossexualidade é estimulada pela mídia e pela cultura atual, porém, qualquer um que tenha completado o ensino médio sabe que a prática homossexual acontece desde que se tem notícia. Antes mesmo dos relatos da existência de Jesus Cristo. Outro fator importante a ser levado em conta é um que eu, como um profissional de saúde, posso afirmar: O sexo anal, tão abominado por quase todas as religiões por se tratar de algo "anti-natural", provoca reações fisiológicas tão ou mais sexuais do que o vaginal, principalmente no homem que, devido a estimulação próstática, tem uma ejaculação mais eficiente e de melhor qualidade (com maios quantidade de espermatozóides viáveis), o que, dentre outras coisas, ajuda a derrubar o principal argumento anti-homossexualidade: o de que não se trata de algo natural a raça humana.

Débora Stein disse...

Eu prefiro o que um dos maiores cabalistas (Rav Yehuda Berg) de nosso tempo diz sobre a homossexualidade:

"
O que os Cabalistas falam sobre a homossexualidade? Rav Yehuda Berg (Tha Kabbalah Center) em seu livro “The Kabbalah Book of Sex & Other Mysteries of the Universe” diz:

“É apenas com o Coração que a pessoa pode ver corretamente”

Cabalá não oferece uma opinião sobre o assunto, muito simplesmente porque a Cabalá não é uma religião ou uma filosofia com opiniões sobre orientação sexual. Cabalá é um modelo descritivo, uma tecnologia baseada na energia da vida. Ela nos permite ter mais Luz em nossas vidas, para fortalecer nossa conexão para aquele 99% da Realidade da Espiritualidade da qual nos derivamos.

Cabalá explica que o derradeiro propósito da vida é transformar nossos desejos egoístas e aprender a compartilhar com as pessoas. Como debatemos anteriormente, relacionamentos são a maior parte desse processo. Todo mundo, gay ou não, enfrenta a dura tarefa de aprender a resistir ao dominante comportamento que o Adversário propõe. Quando qualquer duas pessoas se comprometem a tomar essa jornada juntas, de compartilhar e ser consciente do efeito de suas ações no mundo, elas revelam uma grande Luz ao mundo.

Ao falar com meus estudantes gays, eu vejo que eles facilmente conseguem conectar com a ideias de energias masculinas e femininas. Lembre-se, essas são as cargas positivas e negativas que existem na alma unificada. De fato, Cabalá explica que energias masculinas e femininas, ou almas femininas e masculinas, podem ser atraídas para o corpo do sexo oposto. Pessoas podem inclusive ter a combinação de ambas energias, as quais podem afetar sua sexualidade.

Derradeiramente, a alma de uma pessoa escolha o corpo que irá habitar antes de entrar no mundo físico. E nós estamos todos aqui pelo mesmo motivo: Aprender a compartilhar mais, a se tornar mais como a Luz, e a acender a Lei da Atração em nossas vidas. Então qualquer combinação de alma e corpo que tenhamos, nós somos exatamente quem precisamos ser para cumprir nossa missão. Cabalá explica que qual seja a fantástica viagem que nos leva, nós somos todos centelhas do Divino, do Criador, e o Criador não comete erros.

Tratar todas as pessoas com dignidade humana é uma ferramenta da Cabalá. Não porque é moralmente correto, mas porque julgamento e ódio são ferramentas do nosso Adversário e elas imediatamente nos desconecta de nossa Luz. Tratar todos com bondade, compaixão e compartilhamento nos conecta com a Luz que irá infundir nossas vidas com paixão e entusiasmo.

É importante que nós entendamos o conceito de masculino e feminino com eles são definidos Cabalisticamente. Homem e mulher não se referem ao corpo físico masculino e feminino. Cabalá lida com forças de energias que não tem nada a ver com materialidade. Há uma energia masculina e uma energia feminina, e essas forças podem ser encontradas tanto no corpo físico da mulher quanto no do homem, em várias proporções. Nas relações gays, não é incomum encontrar que uma parceiro expressa mais qualidades femininas e outro mais masculinas. Isso é resultado direto de uma energia masculina ou feminina que brilha na alma de cada pessoa.

Como um pensamento final sobre esse assunto, digamos que temos um casa heterossexual que trata a todos de maneira abusiva. Eles destratam seus amigos e colegas de trabalho, e seu comportamento carece de qualquer forma de decência.
Suponhamos que temos um casal gay que compartilha a vida distintamente por um constante esforço de bondoso para as pessoas. Eles fazem um esforço para tratar as pessoas com dignidade humana. Qual casa, de acordo com os ensinamentos da Cabalá, revela mais luz para o mundo? Respostas? (Nenhuma surpresa aqui.) O casal gay.".

Tão me seguindo...

Ocorreu um erro neste gadget